Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais

Obrigações | Títulos de dívida

Obrigações são títulos de dívida, indivisíveis e passíveis de negociação, que representam uma fracção de um crédito emitido por uma entidade pública ou privada.

A este produto financeiro é denominado de Empréstimo Obrigacionista, e é título de dívida negociável, através do qual o seu emitente se compromete a pagar, a quem o detenha, um rendimento (juro ou taxa de cupão) em condições definidas à data de emissão, durante um certo período de tempo e, ainda, o respectivo valor de reembolso do capital.

As obrigações são uma das formas de financiamento das empresas, e resumidamente apresenta as seguintes funções:

  • Financiar o investimento em capital intensivo;
  • Reforçar o fundo de maneio;
  • Superar as dificuldades de obtenção do crédito bancário;
  • Reestruturar operações financeiras com vista a reduzir o custo do capital da empresa;
  • Permitir uma melhor planificação financeira da empresa;
  • Permitir canalizar a poupança para o ciclo produtivo da economia.

Principais elementos das obrigações:

  • Valor Nominal (VN) – corresponde ao valor facial do título.
  • Valor de Subscrição – também designado por “preço de emissão” (PE), que corresponde ao valor a que as obrigações são adquiridas no mercado primário.
  • Valor de Reembolso (VR) – montante pago ao detentor de uma obrigação para amortizar a dívida contraída.
  • Taxa de juro ou de cupão (i) – taxa que se aplica ao valor nominal para se apurar o montante dos juros.
  • Periodicidade dos juros – Semestral, anual ou trimestral;
  • Forma de amortização – Um único reembolso ou vários reembolsos periódicos;
  • Cotação: preço formado em mercados organizados;
  • Imposições contratuais – têm em vista a protecção dos interesses dos obrigacionistas.
  • Juros corridos: Juros respeitantes ao período decorrido desde a data de pagamento dos últimos juros e a data da transacção.

Esperança de vida das obrigações

Esperança media de vida das obrigações é o período de tempo que medeia entre a data em que nos encontramos e a data do reembolso da obrigação.

Vida mínima (Vm) – espaço de tempo que medeia entre a data actual e a primeira data em que a obrigação poderá ser reembolsada.

Ao investir em obrigações, o investidor será obrigacionista da empresa a quem as obrigações dizem respeito e estará a investir na dívida da empresa incorrendo no risco da mesma.

Subscrever actualizações

rss

Comentários



AVISO:Todos os artigos publicados no blogue bancario.pt são puramente informativos e não podem ser confundidos com aconselhamento financeiro.